Corona Vírus Sars-Cov-2 em ERPI (testemunho na primeira pessoa)

Equipa Covid da ACS

30 ABR 2021 : 5

A Associação Casapiana de Solidariedade teve que, perante todo o cenário que se previa, elaborar o seu Plano de Contingência, atualizando-o conforme os normativos dos organismos oficiais, estando atualmente na versão XI.

A Associação Casapiana de Solidariedade teve que, perante todo o cenário que se previa, elaborar o seu Plano de Contingência, atualizando-o conforme os normativos dos organismos oficiais, estando atualmente na versão XI.

Foram meses muito difíceis em que existiu a necessidade de atualizar ao minuto as tarefas a desenvolver no dia-a-dia da instituição.

Foi necessário muito empenho, dedicação e discernimento para captar e compreender as sucessivas orientações das entidades oficiais e implementá-las no imediato.

Foi fundamental a capacidade reativa que tivemos face à situação. Foi fundamental a implementação de um conjunto de medidas mesmo antes de existir essa indicação pelo Estado e pelas entidades competentes. Medidas essas como as ações de sensibilização aos funcionários e residentes, um sistema improvisado de transporte de funcionários para os seus domicílios e dos seus domicílios para o local de trabalho, uma primeira redução dos horários das visitas permitindo apenas 1 visita por residente, alterada posteriormente para a restrição total de visitas.

A implementação de medidas e a interiorização das mesmas foi um verdadeiro desafio e uma tarefa muito difícil de executar - novos conceitos, novas rotinas, novas obrigações e novas exigências - tudo teria que ser acionado sem margem para erro. Tudo isto apenas foi possível com a dedicação e o empenho dos funcionários, dos residentes e das respetivas famílias.

O mês de junho marcou a continuação do trabalho e do esforço para cumprir com o plano de contingência COVID-19 e com o plano de levantamento de medidas COVID-19, entretanto implementado.

Face à evolução da pandemia, em setembro o país foi confrontado com a 2ª vaga da COVID-19. Foi necessário retroceder com o plano de levantamento de medidas e ativar novamente um conjunto de restrições na ACS que se traduziu na restruturação das equipas, horários de funcionamento e limitações nas saídas e entradas na associação.

Com o início do novo ano era esperado um novo recomeço, um alívio de medidas e uma fase de recuperação. Contudo, e sem aviso prévio surge a 3ª vaga. A 18 de janeiro de 2021, e a um dia de iniciarmos o plano de vacinação para a COVID-19, enfrentámos um surto de COVID-19 na nossa instituição. Neste momento, e ao fim de quase 10 meses de muita luta, o nosso mundo desabou, mas, mais uma vez e apesar do medo e da angústia, fomos à luta e passamos por mais esta batalha. Depois de muito esforço, conseguimos conter o surto existente.

A 05 de fevereiro demos início à 1ª dose da vacinação para a COVID-19 aos 28 funcionários não infetados e a 24 de fevereiro foram vacinados todos os residentes e restantes funcionários com a 1ª dose. A 26 de fevereiro os 28 funcionários tomaram a 2ª dose da vacina. A vacinação aos residentes foi concluída a 26 de março de 2021 (2ª dose) e os restantes funcionários serão vacinados com a 2ª dose a 19 de maio de 2021.

Ao fim de 1 ano continuamos com a implementação de várias medidas para prevenir que o “inimigo invisível” não volte a furar a nossa “bolha” protetora e a causar medo e sofrimento nas nossas vidas.