© Associação Casapiana de Solidariedade 2017

Sobre A ACS

NATUREZA JURÍDICA

A Associação Casapiana de Solidariedade é uma Instituição Particular de Solidariedade Social - IPSS nº 26/94 (publicado no Diário da República nº 160 I série - 19/07/1993), sem fins lucrativos e detentora do Estatuto de Pessoa Colectiva de Utilidade Pública.

TRAJETÓRIA HISTÓRICA

Em Maio de 1994 um grupo de ex-alunos da Casa Pia de Lisboa, motivados por um espírito altruísta e unidos pelo esforço idealizaram a construção de um espaço físico que contribuísse para um desenvolvimento harmonioso do processo de envelhecimento. 

"O sonho tornou-se realidade".

O projeto de arquitetura foi elaborado por Cândido Palma de Melo (ex-aluno da Casa Pia).

Relevam-se algumas datas marcantes:
 

- A 8 de Março de 1993 é constituída juridicamente a Associação Casapiana de Solidariedade;
 

- A 16 de Maio de 1994 é reconhecida como IPSS;
 

- Em 2003 é assinado o acordo de cooperação com o Instituto de Segurança Social (ISS), tendo o primeiro residente entrado em 3 de Setembro de 2003. Desde esta data tem sido um processo progressivo;
 

- No dia 29 de Outubro de 2005 foi inaugurada a Resposta Social Lar da ACS, mais tarde e até aos dias de hoje denominada de Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI);

- Em 2014 iniciou-se o desenho do Projeto de Ampliação das instalações da ACS;

- Em Agosto de 2016 iniciaram-se as Obras do Projeto de Ampliação das instalações da ACS, aumentando a capacidade de alojamento da Resposta Social ERPI para 105 utentes;

- Em 2017 a ACS deu inicio a uma nova Resposta Social - Núcleo de Convívio e Partilha (NCP);

- Em 12 de Março de 2018, iniciaram-se as primeiras admissões ao abrigo do Projeto de Ampliação das instalações.

​OBJETIVO GERAL

A Instituição tem como objetivo, o apoio à integração social e à proteção na velhice não só à população Casapiana, mas também à população em geral, isto é, segundo o artigo 2º do Estatuto da ACS “(…) o apoio à integração social e comunitária de ex-alunos e ex-funcionários da Casa Pia de Lisboa, seus cônjuges e familiares e outros em situações considerados de carência, privilegiando, sempre que possível, a inserção da comunidade local na sua proteção na velhice, na invalidez e em todas as situações de falta ou diminuição de meios de subsistência ou de capacidade para o trabalho, bem como a proteção da saúde através de cuidados de medicina.”

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

De acordo com a norma IV do Regulamento Interno da ACS esta tem como objetivos específicos:


i. A promoção de serviços de qualidade adequados à satisfação dos residentes;
ii. A promoção da autonomia e do bem-estar dos mesmos;
iii. A contribuição para a estabilização do processo de envelhecimento;
iv. A criação de condições favoráveis à manutenção e desenvolvimento das relações interpessoais e à participação da família na vida da instituição;
v. Potenciar a relação com a comunidade envolvente e a instituição no objetivo de promover uma maior autonomia no desempenho das atividades normais do quotidiano.

​ÁREAS DE INTERVENÇÃO / RESPOSTAS SOCIAIS

A ACS é uma Instituição de apoio a idosos com duas Respostas Sociais: ERPI e NCP. A ACS consegue assim proporcionar respostas integradas para pessoas idosas e suas famílias de forma a contribuir para a garantia dos seus direitos de cidadania, dignidade e bem-estar. A aposta da Associação é procurar estar cada vez mais próximo dos idosos, proporcionando serviços de qualidade, prestando uma dimensão de qualidade de vida como resposta às solicitações dos idosos no processo de envelhecimento, o que vai ao encontro do plano de atividades.

ÂMBITO GEOGRÁFICO

O âmbito geográfico da ACS, Resposta Social Lar, tem uma abrangência do território nacional, tendo como requisito o ser sócio da associação.

RECURSOS FÍSICOS

A ACS tem os recursos físicos que garantem e asseguram o funcionamento das atividades diárias da Instituição.
 

É composto por um edifício de cinco pisos: no piso–1 funcionam a casa mortuária, piscina, ginásio, gabinete de fisioterapia, vestuários, lavandaria,  cozinha, armazém dos alimentos. No piso 0 temos a receção e hall de entrada, os gabinetes: dos administrativos, da Direção, da Diretora Geral e Assistente Social, o da Animadora Sociocultural com o espaço / atelier dos residentes, a tesouraria, a biblioteca, o refeitório, a copa, casas de banho comuns e a sala de convívio, e 3 quartos com kitchenette. O piso 1 é composto pela enfermaria, gabinete médico, sala de convívio adaptada às necessidades dos idosos com maiores graus de dependência, quartos dos residentes, 3 quartos com kitchenette e casa de banho privada, casas de banho comuns e privativas dos quartos, cabeleireiro e a copa. O piso 2 é composto por quartos dos residentes, casas de banho privativas / comuns, 3 quartos com kitchenette e casa de banho privativa, 2 suites, uma copa e uma sala de convívio para os residentes da resposta ERPI. O piso 3 é composto por quartos de residentes, casas de banho privativas / comuns, 3 quartos com kitchenette e copa.

POPULAÇÃO ALVO

A instituição acolhe temporariamente ou permanentemente idosos com idade igual ou superior a 65 anos, que optem por viver numa instituição, que lhes proporcione um ambiente acolhedor e familiar, contribuindo para um envelhecimento saudável e ativo.